Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2008

...









Pergunto-me  porque choro
Pois não sei
Tomam-me por forte
Serena
Inquebrável
Imbatível
Mas, ninguém sabe
Quantas vezes
Esquecida no silêncio
Lágrimas confessam
Aquilo que palavras não dizem...
Folgo depois num suspiro
Que me renova
Abro então portas
Que encostadas, esperavam brisas de bonança
E entram finalmente novos raios de esperança
Que traçam frescos sonhos
Que me lançam para fora
Do limite da agonia
...
     ...
         ...
                                    Busco os arabescos
                                         Espalhados no meu sentir
                                              E em palavras semeio novas sementes
                                                  De luz, para te iluminarem
                                                       Novos trilhos de existência
estou....: a balançar...
tags:

publicado por Á flor da pele às 22:07
link do post | deixa um reflexo de ti | favorito
 O que é? |  O que é? | partilhar
14 comentários:
De Manuel a 29 de Janeiro de 2008 às 16:39


Pergunto-me porque choro
-------------------------
Chorar é próprio do ser humano.
Fica bem.
Felicidades
Manuel


De Cöllyßry a 29 de Janeiro de 2008 às 18:15
Que esses novos trilhos tragam momentos plenos de felicidade...lágrimas brotam de coração senssivel...

Doce meu beijo


De Fê_Notável a 29 de Janeiro de 2008 às 23:57
Lindo lindo, poema que mostra força e sencibilidade! ao mesmo tempo que é frágil, é forte! lindo, lindo!
Beijos


De mitro a 30 de Janeiro de 2008 às 16:27
Chorar lava a alma!


De efeneto a 1 de Fevereiro de 2008 às 12:58
Cada pequeno Olá, cada pequeno sorriso, cada pequena ajuda é capaz de salvar um coração magoado. Há um milagre chamado Amizade. Você não sabe como ela aconteceu ou quando começou, mas você sabe a alegria que ela traz e percebe que a Amizade é um dos dons mais preciosos que Deus nos concedeu.
Amigos são jóias preciosas, realmente. Eles fazem-nos sorrir e encorajam-nos para o sucesso. Eles estão sempre ali para nos ouvir, para nos elogiar, e estão sempre de corações abertos para nos receber. Neste dia particular para mim, onde comemoro um ano de publicações venha-se associar á festa. Á sua festa…á nossa festa…para o ano cá estaremos mais velhos é certo mas de certeza mais ricos de amizade, de solidariedade e amor com o próximo. Aproveito para lhe desejar um óptimo fim-de-semana na companhia de quem mais desejar. Se o passar sozinho não se esqueça de olhar para o lado. Os amigos estão lá, é só procura-los.
efeneto.


De Amaral a 1 de Fevereiro de 2008 às 17:43
As novas sementes de luz são aquilo que irão dar o fruto pretendido.
Hoje, as lágrimas quebram silêncios, mas é sempre tempo para gritar ao silêncio palavras de conforto e esperança...


De vicio a 2 de Fevereiro de 2008 às 00:39
se choras... talvez o faças porque sentes!
e lembra-te que o silencio pode dar-te o melhor dialogo.
é nele que podes falar contigo :)

ps- as fotos foram tiradas por mim mas estão ali... podem ser tuas se quiseres.



De Marta Vinhais a 2 de Fevereiro de 2008 às 09:01
Somos essencialmente humanas e chorar não é uma fraqueza - deixamos apenas que a dor fale e depois..
Olhamos em frente...
Lindo, muito sentido o poema...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Mara


De brisa de palavras a 2 de Fevereiro de 2008 às 14:23
Revi-me completamente neste poema...
às vezes pergunto-me porque choro.

um abraço
brisa de palavras


De Daniel Aladiah a 3 de Fevereiro de 2008 às 18:12
Querida Rosa Maria
Parece que estamos no meio de uma tempestade, balouçando ao sabor dos ventos fortes, que espalham a tristeza mas, de tanto soprar, também ajudam a secar as lágrimas...
Um beijo
Daniel


Comentar post

Assim sou eu...

Aceitem-me como eu sou ... tentarei fazer todos felizes ... Exijam mais do que posso dar... e afastar-me-ei ...

Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Sentimentos recentes

Meditando

Estilhaços...

O silêncio

Raio de sol

Edição do meu segundo liv...

Hoje... e depois amanhã

Fragmentos

Eram gardénias, Senhor...

O meu primeiro livro

Mariana

arquivos

Maio 2016

Novembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2013

Fevereiro 2013

Dezembro 2012

Agosto 2012

Março 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

todas as tags

favoritos

Fragmentos

links

pesquisar

 
blogs SAPO

subscrever feeds