Sábado, 16 de Junho de 2007

Cerrado nevoeiro






No cerrado nevoeiro que me envolve

Estendo o meu ser à procura do teu
Perdi-te, numa troca de palavras fúteis
Violentas e sem perdão
Mas sem razão, porém...
Cultivo a mágoa agora dentro de mim
Esperando que o nevoeiro se esbata
Se dilua em suave neblina
Para que me deixe encontrar-te novamente
E segurar a tua mão
mas sei
Que vou ficar à espera
Do teu olhar arrependido...
Sei que o vou encontrar
Embora por vezes não baste...
Preciso de ouvir a tua voz...
De me envolver nos teus braços
Sentir-te amar-me novamente
Como sempre...
Como sempre...




Mais um post, recuperado de blogue perdido...Talvez...porque está nevoeiro...
estou....: nada enevoada...

publicado por Á flor da pele às 12:46
link do post | deixa um reflexo de ti | favorito
 O que é? |  O que é? | partilhar
18 comentários:
De Daniel Aladiah a 16 de Junho de 2007 às 23:26
É bom quando conseguimos brincar connosco... ;)
Um beijo
Daniel


De pedaços de mim a 17 de Junho de 2007 às 00:38
Também gostei muito de aqui passar, Sempre esperamos por alguém ....

:)


De cacharel a 17 de Junho de 2007 às 01:38
Aiiiii que triste!
Que o nevoeiro passe rápido e que o sol brilhe na tua janela...

Deixei um perfume especial para ti no meu cantinho...

Beijinhos e bom domingo****


De Marta Teixeira a 17 de Junho de 2007 às 10:22
Quando o nevoeiro se dissipa....o sol, alguém aparecerá...
Gosto de dias de nevoeiro...renovam-se votos, certezas, vontades...........
Lindo como sempre...gostei muito
Beijos e abraços
Marta


De littledragonblue a 17 de Junho de 2007 às 13:35
O Nevoeiro encobre muita coisa.
Nele podemos experimentar algo oculto.
Gostei do poema.
Um beijinho e votos de uma excelente semana


De Paula Raposo a 17 de Junho de 2007 às 17:41
Obrigada pelas palavras no 'poema a dois'. Este teu, conhecia do outro blog. Gosto. Beijinhos.


De Amaral a 17 de Junho de 2007 às 21:29
Como sempre...
Um poema recuperado, porque é sempre novo, e traz-nos sempre a nostalgia de algo perdido no (nosso) nevoeiro...


De Noite a 18 de Junho de 2007 às 10:26
Quiça seja o nevoeiro uma forma de toldar a visão, mas jamais será suficiente para esconder os apelos da alma.


De Fê_Notável a 18 de Junho de 2007 às 13:09
Oi!!!!
que lindo o poema! Acho que todo mundo já se viu perdido dentro de um nevoeiro feito de mágoas... espero que que ele se transforme em neblina, e que esta neblina vire um lindo dia de sol quente! =)
Beijos pra você e uma linda semana!


De Maria Papoila a 18 de Junho de 2007 às 14:58
A luz da tua alma iluminada vai conseguir romper o nevoeiro...´Lindíssimo este poema!
Adoro a cantiga de fundo.
Beijos


Comentar post

Assim sou eu...

Aceitem-me como eu sou ... tentarei fazer todos felizes ... Exijam mais do que posso dar... e afastar-me-ei ...

Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Sentimentos recentes

Meditando

Estilhaços...

O silêncio

Raio de sol

Edição do meu segundo liv...

Hoje... e depois amanhã

Fragmentos

Eram gardénias, Senhor...

O meu primeiro livro

Mariana

arquivos

Maio 2016

Novembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2013

Fevereiro 2013

Dezembro 2012

Agosto 2012

Março 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

todas as tags

favoritos

Fragmentos

links

pesquisar

 
SAPO Blogs

subscrever feeds