Segunda-feira, 2 de Julho de 2007

Lições que nunca se aprendem

Desde que escrevi o post anterior, dedicado ao meu rebento mais velho,tenho relido as minhas palavras imensas vezes, e lembrei-me de procurar este, que publico hoje, e foi "desencaixotado", de um "baú" antigo, dedicado desta feita, ao rebento mais novo...





olho para ti
rosto pequeno, doce, infantil
e sufoca-me a alma
saber que nada sei
nada aprendi




sempre quis ser
a melhor das mães
e agora que começas a voar por ti
volta o já conhecido pânico
de não te saber orientar
de não conseguir seguir-te
apanhar-te no teu voo




e dou por mim perdida
quase que à espera que me ensines
que me pegues na mão
dizendo a sorrir
(com esse teu sorriso que derrete qualquer ira)
- Vem Mãe...eu digo-te como é...




mas eu sei, já de tempos passados
que não será assim
e vejo-me dura,inflexível
impondo limites e regras
que sei , não irás cumprir
porque as asas são tuas
e eu, temo já não saber voar contigo...
estou....: ainda com saudades...
tags:

publicado por Á flor da pele às 23:53
link do post | deixa um reflexo de ti | favorito
 O que é? |  O que é? | partilhar
17 comentários:
De ftfontes a 3 de Julho de 2007 às 17:04
Que doce poema tirado do bau, onde se guarda as belas recordações...

Doce beijo do meu outro lado


De miosotis a 4 de Julho de 2007 às 15:36
Palavras e sentires de mãe carinhosa em constante sobressalto!

Estou certa q tens dois 'filhotes' lindos!
bjs


De A.S. a 4 de Julho de 2007 às 16:27
Um poema terno e emotivo... Lindoooooo.......


Um beijo!


De Sindarin a 4 de Julho de 2007 às 20:30
Olá amiga! triste este post chegam alturas em que já ñ sõ nossos e ensaiam outros voos. Um grande beijinho cheio de carinho para ti.


De Alvaro Gonçalves a 5 de Julho de 2007 às 03:34
Oi meu anjo,

Hoje venho aqui mais uma vez apenas para te desejar um lindo fim de semana e uma semana cheia de paz, amor, harmonia e muita luz em teu coração.
Obrigado, pela tua maravilhosa amizade, pois significa muito para mim.
Bjokas mil e xi – corações.


De Anónimo a 5 de Julho de 2007 às 14:40
Lindo o versejar da tua alma!

Um abraço de estrelinhas*

Fanny


De Amaral a 6 de Julho de 2007 às 11:35
Os "rebentos" são as nossas paixões incondicionais...
Mas, chega o momento, sempre, em que temos que os deixar voar!
Eles têm as suas asas e, por mais que nos custe vê-los sair dos nossos braços, a verdade é que o mundo é deles, eles têm toda uma vida de descoberta à sua frente e... também é bom vê-los andar sobre os oceanos...


De Marta Vinhais a 6 de Julho de 2007 às 20:55
Lindo poema - boas recordações...mas todos temos que saber voar...e voltamos sempre...
Uma beleza....
Bom fim de semana...
Beijos e abraços
Marta


De Paula Raposo a 7 de Julho de 2007 às 21:47
A imensa ternura de ser Mãe! Muitos beijos.


De Entre linhas a 8 de Julho de 2007 às 21:03
As mães são deuses com asas de anjos passama vida a contemplar os seus rebentos.
Bjs Zita


Comentar post

Assim sou eu...

Aceitem-me como eu sou ... tentarei fazer todos felizes ... Exijam mais do que posso dar... e afastar-me-ei ...

Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Sentimentos recentes

Meditando

Estilhaços...

O silêncio

Raio de sol

Edição do meu segundo liv...

Hoje... e depois amanhã

Fragmentos

Eram gardénias, Senhor...

O meu primeiro livro

Mariana

arquivos

Maio 2016

Novembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2013

Fevereiro 2013

Dezembro 2012

Agosto 2012

Março 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

todas as tags

favoritos

Fragmentos

links

pesquisar

 
SAPO Blogs

subscrever feeds